fbpx

CORPUS CHRISTI

A FESTA DE CORPUS CHRISTI

O dia de Corpus Christi foi oficialmente instituída por Urbano IV com a publicação da bula Transiturus em 8 de setembro de 1264, para ser celebrada na quinta-feira depois da oitava de Pentecostes, ou seja, após a Festa da Santíssima Trindade.  A Festa de “Corpus Christi” é a celebração em que solenemente a Igreja comemora o Santíssimo Sacramento da Eucaristia; sendo o único dia do ano que o Santíssimo Sacramento sai em procissão às nossas ruas.  Nesta festa os fiéis agradecem e louvam a Deus pelo inestimável dom da Eucaristia, na qual o próprio Senhor se faz presente como alimento e remédio de nossa alma. Presença real de Jesus no pão e no vinho consagrados.

A Festa de Corpus Christi surgiu no séc. XIII, na diocese de Liège, na Bélgica, por iniciativa da Freira Juliana de Mont Cornillon, (†1258) que recebia visões nas quais o próprio Jesus lhe pedia uma festa litúrgica anual em honra da Sagrada Eucaristia Juliana nasceu em Liège em 1192 e participava da paróquia Saint Martin. Com 17 anos, em 1209, começou a ter ‘visões’, exigindo da Igreja uma festa anual para agradecer o sacramento da Eucaristia. Em 1230, confidenciou esse segredo ao arcediago de Liège, que mais tarde se tornaria o Papa Urbano IV (1261-1264), tornando mundial a Festa de Corpus Christi, pouco antes de morrer.

Em 1230, a procissão Eucarística acontecia só dentro da igreja, a fim de proclamar a gratidão a Deus pelo benefício da Eucaristia. Em 1247, aconteceu a primeira Procissão Eucarística pelas ruas de Liège, já como festa da diocese. Depois se tornou festa nacional na Bélgica. A festa mundial de Corpus Christi foi decretada em 1264, 6 anos após a morte de Irmã Juliana em 1258, canonizada em 1599 pelo Papa Clemente VIII.
. Essa festa, Corpus Christi, tomou seu caráter universal definitivo, a partir do século XIV, quando o Papa Clemente V, em 1313, confirmou a Bula de Urbano IV nas Constituições Clementinas do Corpus Júris, Corpo de Lei Civil, tornando a Festa da Eucaristia um dever canônico mundial.

Em 1317, o Papa João XXII publicou o Corpus Júris, com o dever de levar a Eucaristia em procissão pelas vias públicas, como ação de graças pelo dom supremo da Eucaristia e como manifestação pública da fé na presença real de Cristo na Eucaristia.
Todo católico deve participar dessa Procissão por ser a mais importante de todas que acontecem durante o ano, pois é a única onde o próprio Senhor sai às ruas para abençoar as pessoas, as famílias e a cidade.
Começaram assim as grandes procissões eucarísticas, as adorações solenes, a Bênção com o Santíssimo no ostensório, os Congressos Eucarísticos e inúmeras outras homenagens a Jesus na Eucaristia.

A Eucaristia é um dos sete sacramentos e foi instituído na Última Ceia, quando Jesus disse: “..isto é o meu corpo…isto é o meu sangue… ” Mt 16,26-29.. A Eucaristia foi celebrada pela primeira vez na Quinta-Feira Santa. Na véspera da Sexta-Feira Santa, a morte na cruz impede uma festa solene e digna de gratidão. Por isso celebra-se, Corpus Christi numa quinta-feira após o domingo depois de Pentecostes.
É fonte e centro de toda a vida cristã. Nela está contido todo o tesouro espiritual da Igreja, o próprio Cristo. (Aquino,F.)
O centro da missa será sempre a Eucaristia e, por ela, o melhor e o mais eficaz meio de participação. Aumentando a nossa devoção ao Corpo e Sangue de Jesus, como ele próprio estabeleceu, alcançaremos mais facilmente os frutos da Salvação
Ornamentação: A decoração das ruas para a Procissão de Corpus Christi é uma herança de Portugal e tradição brasileira. Muitas cidades enfeitam suas ruas centrais com quilômetros de tapetes, feitos de serragem colorida, areia, tampinhas de garrafa, cascas de ovos, pó de café, farinha, flores, roupas e outros ingredientes. (Arnaldo Beltrame) . Em muitos lugares criou-se o belo costume de enfeitar as casas com oratórios e flores, tudo em honra do Senhor que vem visitar o seu povo.
Na nossa região os tapetes coloridos, é possível apreciá-los na cidade de Flores da Cunha.
“A festa de Corpus Christi nos convida a cada ano a renovar a surpresa e a alegria pelo maravilhoso dom do Senhor que é a Eucaristia”. Papa Francisco

Bibliografia
BELTRAME, A. Como Falar com os Meios de Comunicação da Igreja? Vozes, Petrópolis, 1996.

AQUINO, F. O Segredo da Sagrada Eucaristia, São Paulo, Cléofas, 2019.

TABORDA, F. ” F é e Realidade ” 16), Ed. Loyola. São Paulo 1984.

 

#TBT Festa Junina
ARRAIÁ DO MADRE IMILDA #EmCasa
Menu