fbpx

Festa da Família 2019 – Maternal e Pré 1: Brincadeira de Criança, Como é bom!

A Festa da Família 2019, das turmas do Maternal 2 e Pré 1 da Educação Infantil, convidou a todos para voltar a ser criança. Inspirado pelo poema da autora Anita Wadley e através das cantigas, danças e histórias, o enredo mostrou todo o aprendizado e desenvolvimento infantil que a criança obtém quando aparentemente está “apenas brincando”.  A plateia teve que soltar a imaginação para viajar com os pequenos através do tempo e das brincadeiras. Ao final, pela emoção nos olhos e o carinho no abraço, percebeu-se que eles conseguiram encantar a todos.

Quem nunca brincou de “Elefantinho Colorido”? Uma brincadeira divertida que inicia com a escolha de um participante para comandá-la. Este fica à frente dos demais e diz: “Elefantinho colorido!”. Os outros respondem: “Que cor?”. O comandante então, grita o nome de uma cor e os jogadores correm para tocar em algo que tenha aquela tonalidade. Quanto mais longe o acesso à cor, mais difícil o jogo fica. Quando a criança brinca de “Elefantinho colorido”, ela não está “apenas brincando”, ela está desenvolvendo habilidades importantes para seu desenvolvimento, aprimorando sua atenção, agilidade, memória, coordenação motora, conhecimento das cores e discriminação auditiva e visual. E foi assim que a turma do Maternal 2A fez a plateia puxar da memória a brincadeira e a atenção.

Já os pequenos do Maternal 2B trouxeram a beleza das rodas cantadas, que são uma porta de entrada para outros mundos. Assim como as histórias, as cantigas são um convite para adentrar o universo da imaginação. A cantiga de roda “A linda rosa Juvenil”, inicia com o grupo de crianças formando uma roda, e enquanto a mesma gira e bate palmas, canta-se a música. Uma criança é escolhida para ser a rosa Juvenil, outra a bruxa, outra o tempo e outra o rei. Após isso, as mesmas encenam a música no centro da roda. Você considera que isso é “apenas brincar”? Pois enquanto a criança brinca com esta cantiga de roda, ela enriquece seus conhecimentos acerca da imaginação, atenção, socialização, expressão oral e corporal e respeito com o próximo.

Uma das brincadeiras mais antigas e tradicionais é a Amarelinha e ela não poderia ficar de fora de nossa apresentação. Esta brincadeira divertida pode ser realizada na rua, na pracinha, na escola ou no parque, e existem muitas maneiras de brincar. O modo mais tradicional inicia com as crianças decidindo a ordem dos jogadores. Cada jogador, ao chegar à sua vez, se coloca em frente ao diagrama, e atira a pedra na casa número 1, salta sobre a casa onde está a pedra sem pisar na linha, caindo com os dois pés no 2 e no 3, com um pé só no 4 e repetindo essa sequência até o número 10. Ao chegar no 10, ou errar, o jogador cede a sua vez ao seguinte. Vence quem terminar toda a amarelinha primeiro. Durante a brincadeira da Amarelinha, a criança não está aparentemente “apenas brincando”, ela está aprendendo a conhecer e a escrever os números, além de exercitar suas habilidades de contagem e sequência numérica, raciocínio lógico-matemático e equilíbrio. É uma brincadeira que auxilia também no desenvolvimento motor das crianças. A turma do Pré 1A trouxe a memória desta brincadeira tão antiga e atual ao mesmo tempo, afinal quem nunca brincou de amarelinha no pátio da escola?

Para animar mais ainda os expectadores, a turma do Pré 1B chegou se divertindo ao longo da brincadeira “Chefe manda”, mas será que ela está simplesmente “brincando”? Esta brincadeira, que parece simples, mas muito significativa, desenvolve a concentração, imaginação, coordenação motora, agilidade, atenção e linguagem corporal. Ela é organizada da seguinte forma: Um dos participantes é encarregado de ser o “Chefe” e ficará em frente dos outros jogadores. Ele dará as ordens e todos os seguidores deverão cumpri-las desde que sejam precedidas das palavras de ordem: “Chefe manda!”. As ordens que não começarem com essas palavras não devem ser executadas.

Quem nunca brincou de Estátua? O desafio trazido pela turma 1C foi segurar a risada e congelar o movimento quando a música parar, uma tarefa nada fácil quando se está dançando em posições divertidas e diferentes. Primeiro é necessário definir um juiz, que controlará o aparelho de som para que todos os outros participantes possam dançar. Quanto mais engraçada a dança, mais divertida será a brincadeira. Enquanto houver música os dançarinos devem se movimentar, e assim que a música parar é hora de congelar o movimento e se tornar uma estátua. Quem se mexer primeiro sai da brincadeira. Ganha o último dançarino que conseguir se manter como estátua por mais tempo. O será que as crianças estão desenvolvendo e aprendendo durante esta brincadeira? Será que estão “apenas brincando”? A Estátua estimula a integração com outras crianças. Aprimora o equilíbrio, a coordenação, a criatividade, a desinibição e a concentração.

Através de uma brincadeira de criança, podemos compreender como ela vê e constrói o mundo – o que ela gostaria que ele fosse, quais suas preocupações e que problemas a estão assediando. Pela brincadeira ela expressa o que teria dificuldade em colocas em palavras. Nenhuma criança brinca só para passar o tempo, sua escolha é motivada por processos íntimos, desejos e ansiedades. O que está acontecendo com a mente da criança determina suas atividades lúdicas; Brincar é sua linguagem secreta que devemos respeitar mesmo se não entendemos. Confira o texto da autora Anita Wadley, que inspirou o momento:

 

Quando eu estiver, no quarto, construindo um edifício de blocos,
Por favor, não diga que eu “estou apenas brincando”.
Já que, entenda, eu estou aprendendo enquanto brinco.
Aprendo, sobre equilíbrio e forma.

 

Quando eu estiver bem vestido, arrumando a mesa, cuidando do bebê,
Não tenha a ideia de que eu “estou apenas brincando”.
Já que, entenda, eu estou aprendendo enquanto brinco.
Algum dia eu posso ser uma mãe ou um pai.

 

Quando você me vir até meus cotovelos na pintura,
Ou ajeitando uma moldura, ou moldando e dando forma à argila,
Por favor, não me deixe ouvi-lo dizer que eu “estou apenas brincando”.
Já que, entenda, eu estou aprendendo enquanto brinco.
Eu estou me expressando e sendo criativo. Algum dia eu posso ser um artista ou um inventor.

 

Quando você me vir sentado em uma cadeira “lendo” para uma audiência imaginária,
Por favor, não ria e não pense que eu “estou apenas brincando”.
Já que, entenda, eu estou aprendendo enquanto brinco.
Algum dia eu posso ser um professor.

 

Quando você me vir recolhendo insetos ou colocando coisas que encontro no bolso,
Não os jogue fora como se eu “estivesse apenas brincando”.
Já que, entenda, eu estou aprendendo enquanto brinco.
Algum dia eu posso ser um cientista.

 

Quando você me vir montando um quebra-cabeças,
Por favor, não pense que estou desperdiçando tempo “brincando”.
Já que, entenda, eu estou aprendendo enquanto brinco.
Estou aprendendo a concentrar-me e resolver problemas.
Algum dia eu posso ser um empresário.

 

Quando você me vir cozinhar ou provar comidas,
Por favor não pense que estou aproveitando, que é “só para brincar”.
Já que, entenda, eu estou aprendendo enquanto brinco.
Eu estou aprendendo sobre os sentidos e as diferenças.
Algum dia eu posso ser um “chef de cozinha”.

 

Quando você me vir aprendendo a saltar, pular, correr e mover meu corpo,
Por favor, não diga que eu “estou apenas brincando”.
Já que, entenda, eu estou aprendendo enquanto brinco.
Eu estou aprendendo como meu corpo trabalha.
Algum dia eu posso ser um médico, um enfermeiro ou um atleta.

 

Quando você me perguntar o que fiz na escola hoje,
E eu responder: “Eu brinquei”.
Por favor, não me entenda mal.
Já que, entenda, eu estou aprendendo enquanto brinco.
Eu estou aprendendo a apreciar e ser bem sucedido no trabalho.
Eu estou preparando-me para o amanhã.

Hoje, eu sou uma criança e meu trabalho é brincar.

 

Finalizando o momento, nossos pequenos não poderiam se despedir da plateia sem apresentar o símbolo, aparentemente simples, mas de um significado muito importante: o presépio e desejar às famílias que neste Natal sejamos presépio, para que prevaleçam os bons sentimentos, a paz, a harmonia e a pureza que as crianças e o Menino Jesus nos transmitem.

 

 

PROGRAMAÇÃO PARA A COLÔNIA DE FÉRIAS
NOCHE ESPAÑOLA
Menu