fbpx

A Fundação deu-se no dia 23 de agosto de 1863, perpassando mais de um século e meio de existência, em Porto Alegre, capital da Província do Rio Grande do Sul. A sessão inaugural aconteceu na capela das Religiosas do Sagrado Coração de Maria, na presença do Bispo Dom Sebastião Dias Laranjeiras, do Pe. Miguel Cabeça, outros sacerdotes e do Conselho da Associação das Mães Cristãs. O próprio Bispo definiu a finalidade da obra: “uma das mais justas e santas instituições, o socorro dado às meninas órfãs ou de pais que, por serem sumamente pobres, não podem ter a indispensável educação…” Movido pelos sentimentos de caridade e amor que consagra a essas queridas filhas, instala o Asilo denominado da Providência, sob o cuidado da Rvda. Madre Priora Bárbara da SS, Trindade e suas Irmãs.

Dom Sebastião Dias Laranjeiras, que decidiu fundar o Asilo Providência cuja direção e educação das órfãs entregou à Madre Bárbara e a parte econômica à Associação de Mães Cristãs.

Depois de quase 67 anos de existência, decorridos sob a proteção do glorioso Arcanjo São Rafael, ao lado da Capela e Casa Matriz, o Asilo Providência, situado à Rua Riachuelo, 536, transferiu-se para um novo edifício construído para este fim, à Rua Demétrio Ribeiro, 594, dando-se a realização desde fato no dia 15 de abril de 1931. Foi inaugurado o asilo com a celebração da 1ª Santa Missa na Capela nova, pelo Revdo. Pe. Capelão Gustavo Schmidt.

O Asilo Providência foi palco de acontecimentos importantes na história da Congregação e, por muito tempo, Sede do Governo Geral e Noviciado. Dom Sebastião Dias Laranjeiras, segundo Bispo do Rio Grande do Sul, tinha especial afeto por essa Obra e dedicava-lhe muita atenção. Ao lado do Asilo fez construir, em 1878, a Capela São Rafael, consagrada como São Rafael, na Rua Riachuelo, 508, ao Coração Imaculado de Maria foi dedicado um dos altares.

A Associação das Mães Cristãs que, durante a vida de Dom Sebastião prestava colaboração à obra, após a morte deste, não manteve o mesmo interesse. Pagavam à metade do aluguel da casa do asilo, mais uma quantia para o sustento. Como isto era muito pouco, deixaram-lhes o direito de receber pensionistas externas e internas.

Desde sua fundação o Asilo manteve a Diretoria da Associação das Mães Cristãs. Em 31 de dezembro de 1946, teve fim a Diretoria e tudo passou para a Congregação, (Escritura lavrada em 31/12/1946), graças ao bem empenho da atual Presidente Dona Rita Barbedo Braga Pinheiro que, já na sua fundação, reconhecendo a doação que Dom Sebastião Dias Laranjeiras fizera dessa Obra à Congregação.

A partir de 1970, as Obras Assistenciais da Congregação passaram por um processo de revisão exigido pela evolução da sociedade. Iniciou-se, também, no Instituto Providência um trabalho de mudança em sua estrutura educacional, a começar pelo regime de internato.

De 1974 a 1977, ampliou-se à área de influência para atingir mais diretamente as famílias, procurando sempre atender crianças órfãs e pobres. Reduziu-se o número de internas, passando a semi-internato.

Em 04 de outubro de 1976, Irmã Imelda Dupond, então Provincial, e Irmã Zoleima Perondi, do Setor Social, juntamente com a Comunidade das Irmãs, reuniram-se e decidiram dar prosseguimento à transformação do Instituto Providência. Durante este ano foram extintas as 3ª e 4ª série do 1º grau, e a partir de 1977, o regime de internato na Escola do Instituto Providência.

Em 1977, foi extinta a 2ª série do 1º grau. Em 1978, funcionou o Maternal, Jardim de Infância, Pré e 1ª série do 1º grau. Neste mesmo ano foram aceitos também meninos no semi-internato, dentro da idade de clientela estabelecida pela Escola, respondendo assim, às muitas solicitações dos pais, para este tipo de atendimento.

Além das aulas propriamente ditas, as crianças aprendiam também: datilografia, trabalhos manuais, encenações e canto. As aulas eram ministradas por Irmãs e, na falta destas, por leigos. A Escola também teve o Conselho de Pais e Mestres para auxiliar na educação de seus alunos.

Em 1981, por decisão da Congregação, o Instituto Providência não mais continuaria como Escola, mas constituir-se-ia em Obra Social, destinada a atender crianças em regime de semi-internato, como uma nova experiência.

Todas as Irmãs, Educadores, Funcionários, Técnicos e Pais dedicam grande esforço para ajudar que a Obra Social continue prestando esse importante atendimento, que tem objetivo preventivo, evitando, assim que as crianças passem e frequentar e morar nas ruas.

A Obra Social tem por finalidade acolher crianças e adolescentes, de 03 a 18 anos, empobrecidos ou em situação de risco e vulnerabilidade pessoal e social, a fim de torná-los sujeito de sua própria história, levando em conta a valorização da pessoa, no seu todo existencial, e respeito à individualidade e à história pessoal de cada um.

Para crianças de 03 a 06 anos, o período é integral, das 7h 30min às 18 horas.

No SASE (Serviço de Apoio Socioeducativo) os de 7 a 14 anos, são acolhidos no turno inverso à Escola Regular que frequentam.

 Em 2003 iniciou-se o Convênio com a Fundação de Assistência Social e Cidadania (FASC) o Trabalho Educativo – Modalidade Informática – de 14 a 18 anos, frequentam as oficinas de Informática três vezes por semana no turno inverso à Escola.

No ano de 2006 o pátio foi reinaugurado, ampliação da área coberta, troca das lajotas e entrada da garagem pela Rua Fernando Machado.

A Instituição proporcionava atividades diversificadas, tais como: formação religiosa, recreação, artesanato, formação humana e cristã, atividades artísticas e esportivas. As crianças e adolescentes têm orientação especializada (Serviço Social, Psicologia), são feitas visitas às famílias e também recebem acompanhamento familiar.

Para a sustentabilidade da Obra sempre buscou-se parcerias:

  • Convênio da SMED, Prefeitura – Educação Infantil – iniciou em 1999 e foi extinto o convênio em 2010 (Conforme Tipificação Assistência Social).
  • Convênio para o Atendimento Socioeducativo em Meio Aberto (SASE), da Prefeitura (FASC): desde 2002 42 metas – SASE Orçamento Participativo (O.P)

Faixa etária de 07 a 14 anos.

Em 2003 até 2011 60 metas conveniadas com a FASC Serviço de Apoio Socioeducativo.

Em abril de 2012 foram ampliadas as metas do Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos de (06 a 14 anos) para 80 metas até julho de 2014.

Com a extinção do Dom Bosco, que atendia o Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos, foram repassadas 40 metas para o Instituto Providência.

O Instituto Providência demandou mais 40 metas pela participação no Orçamento Participativo. Em maio 2015 houve a junção dos convênios ficando 160 metas para o Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos  ( 06 a 14 anos – OP)

Desde 2015, estamos com a demanda de mais 20 metas do OP para SCFV (06 a 14 anos), já encaminhadas à FASC com a documentação aguardando assinatura do convênio.

Através da participação das reuniões do OP a Instituição conseguiu firmar os Convênios da Customização 12 metas, Gastronomia 12 metas (SCFV 14 a 18 anos) assinados com a FASC em 13/12/2013. Mas o repasse do convênio Gastronomia só ocorreu em 06/11/2014 motivo resolução 380/2013 do Conselho Municipal de Assistência Social (CMAS).

  • Mantenedora Sociedade Educação e Caridade que, através de nossa Província, mensalmente, nos doava uma quantia significativa;
  • Ajuda do Governo Federal, antiga FGTAS;
  • Projetos (Edital) Educação Infantil, SASE e Trabalho Educativo.
  • Tivemos Projetos da Rede Parceria/RS
  • Edital CEDICA – Secretaria da Justiça do Trabalho e Desenvolvimento.

Trabalhamos visando “a promoção humana e a defesa dos direitos das crianças e adolescentes, investindo na construção de uma Sociedade mais justa, mais solidária e fraterna” (ECA).

Fieis ao estilo de Bárbara Maix, a equipe e Irmãs se dedicam para tornar realidade uma formação educativa integral e atenta aos problemas pessoais, que considere o educando como artífice de seu próprio crescimento. Como nos orienta nossa Madre Fundadora, “Mostremos com exemplos aquilo que com palavras ensinamos.” (Carta 1871).

Nossa fundadora Bárbara Maix priorizou sempre os mais pobres, os mais necessitados, promovendo em tudo a VIDA. Atualmente temos um número significativo de crianças e adolescentes provindas de famílias pobres, outras de famílias empobrecidas, em muitas situações desprovidas totalmente de recursos financeiros básicos, crianças e adolescentes em situações de risco e vulnerabilidade social e pessoal (caso de violência doméstica, abuso sexual, desemprego, doenças, dependência de substâncias psicoativas e outros). A maioria são filhos de pais separados, mães solteiras ou sob guarda de avós ou outros cuidadores, como também atendemos acrianças e adolescentes em acolhimento institucional. Os pais, em geral, não assumem a paternidade, ficando as mães responsáveis, sozinhas, pelo sustento da família. Trabalham como faxineiras, empregadas domésticas, vendedoras ambulantes, manicures, ajudantes de cabelereiros, biscates entre outros…

Diretoras:

Bárbara Maix foi a primeira diretora no Endereço da Rua Riachuelo, 506.

Ao transferir-se para a Rua Demétrio Ribeiro, as Irmãs que integraram a Comunidade: Madre Superiora Clotilde, e Irmãs Amalia, Beatriz, Estelburga, Escolastica, Bonifácia, Serena e Narcisa.

Outras diretoras: Ir. Lorena Konzen, Ir. Maria Toniolo, Zélia Maria Benvegnú (1980 – 1981), Ir. Cecilia Therezinha Cielo, (1989 – 1991) Ir. Ir. Helena Joanna Comerlato, (1997 a 2005), Ir.Irne Bellenzier, (2006 a 2009), Ir.Sueli Rosane Gonzatti (2010 a junho 2012), Ir. Maria Bernardete Macarini (julho de 2012 a dezembro 2014), Ir. Daniele Vanuza Kosvoski (2015 a atualmente).

Atualmente a Instituição atende 210 crianças e adolescentes no Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos, 27 colaboradores e 06 Irmãs.

Sustentabilidade:

Mantenedora – SEC (Sociedade Educação e Caridade)
Termo de Fomento com a FASC 160 beneficiários – 06 a 15 anos
Termo de Fomento com a FASC 36 beneficiários – 15 a 18 anos
Projetos FUNCRIANÇA  desde 2010. Atualmente existem os projetos:  “Arco-íris – Embelezamento” e “Parceria em Ação”
Eventos Beneficentes: Chá Beneficente das Famílias, Jantar Beneficente e Festa Junina.

Menu