fbpx

Sobre a Unidade de Educação

A ESCOLA DE ENSINO FUNDAMENTAL SÃO BENEDITO, foi fundada no dia 01 de setembro de 1909, Intitulada “ORFANATO SÃO BENEDITO” por Luciana Lealdina de Araújo, natural de Porto Alegre com a finalidade de amparar as crianças desvalidas, especialmente da orfandade necessitada. Durante sua história o “São Benedito” sofreu várias mudanças de finalidade. Foi Obra Social e Escola até o ano de 2009. A partir de 2010 encara novos desafios. Deixa de ser Obra social e passa ser Escola com turno integral, hoje extracurricular.

Ficou a Instituição diretamente ligada à Paróquia de São Sebastião, sob a direção do Vigário Cônego Constabile Hippolito, no que dizia respeito à parte material do edifício e seus pertences, e a fiscalização e direção interna sob a vigilância de sua fundadora. Porém em 1913, o então vigário, resolveu entregar a Direção do Orfanato a uma associação Religiosa, escreveu a  Superiora Geral de nossa Congregação pedindo algumas religiosas. A Madre Maria Margarida de São José, Superiora Geral não atendeu esse pedido, prometendo fazê-lo em ocasião mais propícia, pois não dispunha de pessoal necessário. Mais tarde com a eleição da nova Superiora Geral, Madre Maria Ines de São Luiz, continuaram as insistências, não só do Vigário como também de Dom Francisco de Campos Barreto, Bispo de Pelotas, já que Bagé pertencia a Comarca de Pelotas. A Madre Geral, em consideração a tais pedidos, de acordo com as madres conselheiras, concordou em mandar algumas irmãs, com o fim de tomarem conta deste Orfanato.

Em julho de 1919, foram nomeadas para assumir este Orfanato as seguintes Irmãs: Madre Maria Eufrásia do Santíssimo Nome de Jesus, na qualidade de Superiora; Irmã Maria Brigida de Nossa Senhora do Carmo, Irmã Maria Augusta  de Santo Inácio e Irmã Maria Hermana de São José. Em Porto Alegre se reuniram as 4 Irmãs, tomaram o vapor para Pelotas, daí partiram, a 26 de julho, com destino a esta cidade de Bagé. A chegada do trem, havia muitas pessoas amigas do orfanato, a espera das Irmãs, inclusive o vigário Constabile Hipólito e o Diretor do Colégio Auxiliadora Pe. Francisco Gayotto Salesiano.

O Orfanato passava por muitas dificuldades financeiras, as damas de caridade faziam  doações e se empenhavam para ajudar as Irmãs,  também o Vigário fez doação de uma custódia para as solenes exposições do Santíssimo Sacramento bem como uma linda imagem do Sagrado Coração de Jesus que ainda é conservada na capela.  São destacadas nesta época as duas grandes benfeitoras do Orfanato: Anna Dorothéia Gaffrée e a Sra. Francisca Torrescasana.  A senhora D. Anna Dorothéa Gaffrée fez um importante donativo para suas protegidas e para que o prédio fosse melhorado ou ampliado. Ouvido o parecer da Madre Diretora, foi adquirido por compra, os dois prédios e respectivos terrenos entre o orfanato e a rua Maurity. Ficou resolvido conforme a ilustre doadora, que o prédio mais novo funcionaria um externato para meninas.

No ano de 1920, a partir do segundo semestre o orfanato começou a ser subsidiado pelo Estado e pelo Município. No ano de 1921 foi formada uma sociedade que se orientava conforme os estatutos do Orfanato, intitulada de “Sociedade Cooperadora do Orfanato São Benedito”.

Em março ano de 1943, foi recebida a primeira candidata a vida Religiosa a menina Diva Lisboa.

No ano de 1945, Dom Antônio Zattera, tencionava eliminar as meninas e internar somente os meninos e retirar as Irmãs do Imaculado Coração de Maria e em substituição viriam as Irmãs da Ordem São Carlos, tomar conta dos meninos, visto nossa Congregação não abranger em relação ao cuidado exclusivo de meninos. O povo de Bagé porém opôs-se protestando ser uma injustiça saírem as Irmãs do Coração de Maria, depois de terem trabalhado tanto e que as meninas não poderiam ficar desamparadas. Passado alguns meses Dom Antônio Zattera, visita este Orfanato e comunica-lhe que resolveu deixar como antes e comprar as casas ao lado para reformá-las e instalar a sessão dos meninos, ficando assim duas sessões: a de meninos e de meninas, a exemplo de outras casas congêneres em nossa Congregação. Em novembro de 1947 foi extinta a sessão dos meninos pelo Dom Antônio Zattera, Bispo Diocesano.

No ano de 1948, foi extinta a Diretoria, a demissão se deu em consequência de contínuos desentendimentos, que se intensificaram sempre mais devido à usurpação dos limitados direitos que cabem somente ao regimento externo. Como as leis supõem observância fiel e o cumprimento das mesmas não constituía vantagens para a referida Diretoria, seus membros, espontaneamente, resolveram retirar-se. Entregaram-se então, ao Pe. Frei Irineu de Guaporé, as cadernetas da Caixa Econômia e do Banco do Rio Grande do Sul, onde se achavam depositadas algumas economias pertencentes ao Orfanato. Neste mesmo ano Dom Antônio Zattera, Bispo de Pelotas, sugeriu a possibilidade da junção das duas Entidades locais, “Orfanato São Benedito e o Bidart”, fazendo daquela, uma nova fundação que seria intitulada “Instituto de Menores”. Tal escolha viria em prejuízo a Congregação. Mais uma vez o povo de Bagé, especialmente os mais amigos, protestaram contra tal possibilidade.

No ano de 1949, houve um “Apelo a população”, foi este o título de uma publicação do “Correio do Sul”, jornal Bageense que deu início a Campanha lançada para angariar assinaturas a novos sócios contribuintes, possibilitando assim, a continuidade do Orfanato São Benedito”, conseguindo elevar de 18 sócios para 1350. Em vista da simpatia dos Bageenses,  Madre Maria Imilda do  Santíssimo Sacramento  –  Diretora Geral, pediu para as irmãs  tentaram a reconstrução do velho Orfanato.

Até o ano de 1953, as matrículas anuais ficavam em média 55 alunas.

A partir do ano de 1954, iniciou-se um externato com 30 alunos no jardim de infância e no curso Primário foram matriculadas 108 alunos.

Neste mesmo ano teve início as Obras que serviria de Sede à Assistência Social Rural, no sítio pertencente a SOCIEDADE EDUCAÇÃO E CARIDADE, sendo que o prédio a ser construído compreenderia uma Escola Rural e um Centro Catequético. Também uma capela, com o intuito de facilitar aos moradores daquela zona da Vila Gaúcha e arredores, e as missas dominicais. Foi dia 16 de julho o primeiro aniversário da fundação do Clube Agrícola Rodolfo Moglia.  Com o tempo aquela área ficou abandonada.

No dia 1º de junho  ano de 1955, foram passadas as Escrituras e a partir dessa data o Orfanato passou a pertencer a SOCIEDADE EDUCAÇÃO E CARIDADE.

No ano de 1956, já foram matriculadas 68 internas e 142 alunos externos.

No dia 08 de novembro ano de 1968, faleceu inesperadamente  a Madre Rosalba coordenadora do Seminário São Pio X de Bagé e foi velada neste Educandário.

No ano de 1980, o Regime de internato foi substituído pelo Regime de Semi-internato.

No ano de 1982, foi realizada a pintura interna do prédio.

No dia 14 de maio de 1984, faleceu Ir. Mônica Tomazi com seus 89 anos de idade.

No ano de 1985, foi feita uma área coberta no pátio de entrada com a finalidade de abrigar os alunos  de modo especial em dias de chuva.

No dia 11 de junho 1987, a aluna da 3ª série e semi interna Andréa Batista Borges, sentiu-se mal logo após o recreio no período da manhã. Imediatamente foi comunicado a família e levada para o hospital. A menor entrou em estado de coma vindo a falecer dia 28 de aneurisma. Neste mesmo ano foi feito a abertura do Pré “B” – 6 anos, com duas turmas, manhã e tarde.

No ano de 1997 houve a troca geral do telhado do prédio de telha de barro por telha de Brasilete devido as grandes goteiras que existiam no mesmo.

No ano de 2002 foi feita a troca de um telhado de Brasilete por uma estrutura metálica com telha de zinco e alumínio na estrada principal da escola com o objetivo de melhor acolher os pais e alunos.

No ano de 2005, houve a troca geral de duas áreas coberta, com telhado de Brasilete que foi substituindo por estrutura metálica com telha de zinco e alumínio.

No ano de 2006 foi iniciado a construção de uma quadra de esporte e no ano de 2008, foi feito a cobertura da mesma, ampliando o espaço para recreação e esportes.

No ano de 2008, iniciou-se o Ensino Fundamental de 9 anos, não mais séries.

Em 2010 – O Regime de Semi-internato passou para o turno integral, hoje extracurricular.

Ao longo da história também era oferecido dança, teatro, coral, artesanato, xadrez, Taewkondo, atletismo, handebol, informática, tricô, crochê, bordado, fiação e tecelagem, violão, flauta, trabalho em gesso.

No decorrer da história a Escola teve vários nomes. Registrado na Secretaria de Educação e Cultura sob o número 13 com a denominação de “Orfanato São Benedito”, sendo reconhecido e 1974 pela Portaria/SEC nº 003472 de 30 de janeiro de 1994, com a mudança de denominação para “Educandário São Benedito”, oferecendo o ensino de 1º grau de 1ª a 4ª série. Em conformidade com a Resolução nº 122/76 e Parecer 214/76 do Conselho Estadual de Educação, o Estabelecimento passou a denominar-se “Educandário São Benedito – Escola de 1º grau Incompleto. O Conselho Estadual de Educação sob o Cadastro nº 250015 de 18 de agosto de 1999, altera a designação do Educandário São Benedito para “Escola de Ensino Fundamental São Benedito.

            No ano de 1997, devido as grande secas em Bagé, foi enviado a Alemanha via  AMENCAR, um Projeto solicitando auxilio para a perfuração de um poço artesiano. O projeto foi aprovado onde em seguida feito a perfuração do mesmo.

No ano de 1993, foi feito um Projeto para o AMENCAR, solicitando recursos para a construção de duas salas para a Oficina de fiação e tecelagem. O Projeto foi aprovado em 1994 e iniciado a construção. Para não tirar espaço dos alunos, foi construído em cima de um depósito de meia água e uma parte embaixo ficou aberto, onde a Província auxiliou para o fechamento da mesma. Após rescindido o Convênio com a Amencar, o espaço superior foi transformado para a Biblioteca e as duas salas térreas ocupadas com oficinas de artesanato. No ano de 2014 com aumento da Educação Infantil a Biblioteca passou para as salas térreas e as duas salas superiores estão sendo ocupadas pelo Maternal – 3 anos.

Cursos existentes: Em 1977 abriu-se a  Pré  Escola, Nível “B” para crianças de 06 anos, porém sem autorização do Conselho Estadual de Educação…

A Lei Estadual de Educação nº 9.672 – Parecer 800/93 de 08 de junho de 1993 autoriza o funcionamento de classe de Jardim de Infância Nível “A” e “B”.

A Comissão Especial de Educação Infantil e Comissão de Ensino Fundamental do Conselho Estadual de Educação, sob o Parecer 851/2012, em 07 de novembro de 2012 aprova e autoriza o funcionamento de Educação Infantil na faixa de 03 anos para a Escola de Ensino Fundamental São Benedito.

A Comissão de Ensino Fundamental do Conselho Estadual de Educação no Parecer nº 789/2015, de 28 de outubro de 2015 autoriza o funcionamento de 6º, 7º, 8º e 9º ano para a Escola de Ensino Fundamental São Benedito.

Hoje a Escola oferece cursos livres como: Futsal, Balé e Invernada.

No decorrer destes anos, sempre foi dado uma ênfase especial no cuidado com a parte espiritual das Irmãs, Educadores, funcionários e alunos. As Irmãs além da Missão na Escola também participavam e marcavam presença na Catequese, Liturgia da Paróquia, visitas a doentes domiciliares e hospitalares.

Quanto a Obra no que se a parte física, sempre houve o cuidado da manutenção, reformas, concertos. Enquanto Obra Social e Escola, a mesma era mantida por convênios como FEBEM, FUNABEM, LBA, AMENCAR, SALÁRIO EDUCAÇÃO, CEDÊNCIAS DE PROFESSORES PELO GOVERNO DO ESTADO E MUNICÍPIO.

            A Comunidade hoje está constituída das seguintes Irmãs:

  1. Elisabetha Theresinha Steffens
  2. Ines Terezinha Sangalli
  3. Irma Antonia de Souza
  4. Maria Fontana
  5. Oneide Henriqueta Bordignon

            No dia 04 de maio de 2016, a Comunidade das irmãs até então chamada “Educandário São Benedito”, passou  a chamar-se “COMUNIDADE SÃO BENEDITO”.

            Em 2016, foi feito um projeto para a construção dum espaço reservado a educação infantil devido ao aumento de alunos. E a partir de outubro deste mesmo ano iniciou-se a construção de um prédio para 14 salas, entres as quais, uma para a biblioteca.

Menu