fbpx

A relação do ser humano com o planeta: responsabilidade fraterna diante da criação.

A pandemia do novo corona vírus (COVID-19) assola o mundo e mostra, com clareza, que o controle da natureza não é nosso e impacta a todos, independentemente de etnia e classe social.

O vírus nos força a percebermos algo simples, compreendido bem pelos outros Reinos: não estamos sós no planeta. Estamos em constante conexão e troca com outros seres – sejam humanos ou não – em relações de interdependência.

“Neste momento, a humanidade está vivendo um despertar através dessa pandemia pela qual estamos passando, onde tivemos que, como seres humanos, mudar radicalmente nossa maneira de viver. Ter que ficar quieto e em casa nos forçou a ver coisas que não queríamos ver”, afirma Madre María Shimani de Montserrat, monja consagrada da Ordem Graça Misericórdia e uma das fundadoras da Fraternidade – Federação Humanitária Internacional (FFHI).

“A natureza também está nos mostrando que sem nós humanos por todos os lados ela pode respirar, recuperar-se, renovar-se e, em alguns casos, retomar sua harmonia e seu equilíbrio”, alerta a monja.

Madre María Shimani explica que a chave para a mudança é o respeito e a gratidão pela Terra, organismo vivo que tão bondosamente nos acolhe. “Se a respeitarmos e nos unirmos a seus ciclos, tudo ficará bem e desfrutaremos de um planeta abundante e maravilhoso, onde sempre foi previsto que cada ser vivo tenha um lugar, onde nada falta”, diz. Se, do contrário, saímos da crise da pandemia indiferentes e perpetuarmos a exploração e destruição sistemática, a Criação nos lembrará novamente de que não somos gratos. “Essa é a pior falha que os humanos cometeram para a Criação, fruto da nossa ignorância”.

Matérias publicadas no Brasil e no Mundo sobre a Fraternidade – Federação Humanitária internacional. (22 de abril de 2020).

Após a reflexão do texto e análise de vídeos sobre os impactos da pandemia, os alunos dos 4º anos apresentaram um lindo trabalho. E através de cartazes, responderam às perguntas e representaram a responsabilidade fraterna diante da criação (planeta):

  • O importante é saber o que vamos fazer a partir de agora. Vamos retomar nossa vida como a vivíamos?
  • Colocaremos, em nossa consciência, o que vimos e aprendemos, em que refletimos?
  • Vamos deixar o medo de lado e colocar a responsabilidade em seu lugar?”
Atividade sobre o folclore
Encontro Virtual com o Cadu
Menu